Esclarecimento sobre a suposta bandeira “nazista” em Santa Catarina

por Rafael José Nogueira - 08 de maio de 2017

Tem circulado uma imagem (imagem A) na internet que poderá ser encontrada nela identificada de duas maneiras, porém erradas. A primeira é “Bandeira Nazista hasteada ao lado da bandeira Brasileira na sede do governo de Santa Catarina. Itajaí – SC – 1934”. É fácil de saber que a sede neste ano já era em Florianópolis e não em Itajaí. Em outras legendas pode aparecer o seguinte: “Sede distrital do Governo de Santa Catarina em 1934 (Arquivo Histórico de Blumenau) ”. Não diz qual é a cidade que seria a suposta sede distrital. Não achei até agora nenhuma informação sobre tal sede. Mesmo que fosse Blumenau ou Itajaí não faz sentido. Por que as duas cidades eram redutos da família Konder inimigos da família Ramos que estavam em ascensão e no comando do governo catarinense. Não acredito que deixariam essas cidades serem as supostas sedes distritais. Dariam um jeito de fazer que Lages ou alguma cidade próxima fosse a sede onde eram seus currais eleitorais.

IMAGEM A: Falsa e referenciada de dois modos errados: “Sede distrital do Governo de Santa Catarina em 1934 (Arquivo Histórico de Blumenau) e Bandeira Nazista hasteada ao lado da bandeira Brasileira na sede do governo de Santa Catarina. Itajaí – SC – 1934” Fonte: Sites e páginas da internet.

Pesquisei a origem da imagem e por meio de dois colegas historiadores do Rio Grande do Sul e com mais algumas pesquisas simples na internet descobri que na verdade a foto correta (imagem B) pertenceu a Exposição Farroupilha em Porto Alegre realizada em 1935 por conta do centenário da Revolução Farroupilha. Dificilmente aparecerá essa referência em pesquisas na internet. Apenas se pesquisarmos especificamente pela Exposição Farroupilha. Mas Rafael está escrito Santa Catarina no prédio? Correto. É que cada estado tinha seu galpão no evento. Na imagem correta (imagem B) também temos uma legenda com letras brancas muito comum em fotos antigas que parece ter sido tirado da imagem errada (imagem A) por meio de edição. Nem mesmo o tal carimbo existe.

IMAGEM B: Imagem verdadeira, da exposição Farroupilha de 1935 em Porto Alegre. Podemos ver o galpão de Santa Catarina na foto em um aspecto durante o dia. Fonte: https://www.flickr.com/photos_user.gne?path=fotosantigasrs&nsid=&page=403&details=1

Reparem que na imagem A que é sempre identificada de forma errada temos a seguinte descrição “Arquivo histórico de Blumenau”. Mais que uma palavra de identificação a frase nos lembra os “sinais” destacada por Ginzburg. Para Ginzburg se a realidade se mostra nebulosa “existem zonas privilegiadas – sinais, indícios – que permitem decifrá-la” (GINZBURG, 1989, p. 177). A frase parece simples, mas olhando com mais profundidade, percebe-se a estratégia do falsificador da imagem. Pois, usar o nome “Arquivo histórico de Blumenau” pode ser empregado como um nome genérico. Quem identificou a imagem com esse nome sequer sabe que o arquivo de Blumenau chama-se Arquivo Prof. José Ferreira da Silva. Até um carimbo aparece na imagem para tentar dar uma maior veracidade a mentira. A maior parte do carimbo está ilegível. Me parece que a única parte mais legível está escrito “Santa Catarina”.

Do ponto de vista histórico não há nada de errado em ver a bandeira alemã (do regime nazista) hasteada em 1934. Ela começou a ser adotada como bandeira da Alemanha em 1933. A partir de 1935 se tornou a bandeira oficial do país, até 1945. Assim sendo, onde quer que houvesse o hasteamento da bandeira alemã em 1934, muito provavelmente seria essa a bandeira em questão. Seja em Santa Catarina, São Paulo, Paris, Washington, etc. A Alemanha só veio a se tornar a vilã do mundo em 1939, ao invadir a Polônia e o Brasil só declarou guerra à Alemanha em 1942, 8 anos depois da foto. É errado falar de “bandeira nazista”, era o regime político. Quando olhamos a bandeira norte-americana em fotos antigas, não falamos “bandeira liberalista” ou “bandeira capitalista”.

Ademais, se restou alguma dúvida sobre a foto realmente ser referente a Exposição Farroupilha de 1935, existem vários trabalhos acadêmicos sobre o evento, mostrando iconografias do pavilhão de Santa Catarina. Deixo dois para quem quiser ler mais sobre: “Um passeio pelo Parque Farroupilha e pela Exposição do Centenário” e “Do Palácio Piratini a Exposição do Centenário Farroupilha: O percurso das obras de Augusto Luiz de Freitas e Lucilio de Albuquerque” ambos os trabalhos da pesquisadora Marlise M. Giovanaz. Deixo também o link de um vídeo no Youtube mostrando imagens do evento: https://www.youtube.com/watch?v=SPebr1XVVIc. Verifiquei fotos das sedes municipais de Blumenau e Itajaí e ao observar sua arquitetura, percebi que a arquitetura dos prédios passa longe de qualquer semelhança com o prédio das imagens.

Por último a título de uma confirmação oficial, mandei e-mail para o arquivo Prof. José Ferreira da Silva e obtive a resposta que o arquivo desconhecia a foto, tampouco tinha alguma relação com Blumenau, e que qualquer elemento do período nazista é sempre tentando estabelecer alguma ligação com o vale do Itajaí e região ou Santa Catarina. Liguei para o Centro de Documentação histórica de Itajaí e a resposta foi o que eu pensava: a imagem não existe em seus arquivos e não tem nenhuma ligação com Itajaí.

Finalmente o trabalho de Juliano da Cunha Reginato: “A Produção Fotográfica da Exposição do Centenário Farroupilha: Visualidades de um Evento” que traz uma farta documentação fotográfica do evento, não deixa dúvidas ao mostrar as imagens do pavilhão de Santa Catarina. Entrei em contato com o pesquisador e o parecer dele foi de que a foto pertence a Exposição Farroupilha de 1935, inclusive ele apontou alguns pontos para isso, podendo ser observada na imagem C, que nos apresenta o pavilhão de Santa Catarina durante o dia e à noite, sendo possível comparar com as imagens A e B a partir de seus apontamentos abaixo:

1º – Arquitetura do prédio (pavilhão); 2º Padrão paisagístico usado no parque; 3º Mobiliário – Bancos do parque. Alguns ainda estão até hoje lá e são esses mesmo da foto e 4º Localização da bandeira. Em outras fotos do evento você percebe que ela ficava mesmo na frente do pavilhão deste estado. Apontou ainda que o fotógrafo provavelmente foi Olavo Dutra.

Como historiador afirmo sem qualquer dúvida, que atribuir a imagem A à cidade de Blumenau ou a Itajaí é completamente errado e sem fundamento nenhum. É apenas uma tentativa tola e ingênua de ligar Santa Catarina com o nazismo de forma desesperada.

IMAGEM C: Pavilhão de Santa Catarina nos aspectos diurno e noturno na Exposição Farroupilha de 1935. Fonte: REGINATO, Juliano da Cunha. A Produção Fotográfica da Exposição do Centenário Farroupilha: Visualidades de um Evento. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

 

REFERÊNCIAS:

 

CORRÊA, Carlos Humberto. Um estado entre duas Repúblicas: a Revolução de 30 e a política catarinense até 35. Florianópolis: Editora da UFSC; Assembleia legislativa de Santa Catarina, 1984.

 

GINZBURG, Carlo. Sinais – Raízes de um Paradigma Indiciário. In: Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

 

REGINATO, Juliano da Cunha. A Produção Fotográfica da Exposição do Centenário Farroupilha: Visualidades de um Evento. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

 

Rafael José Nogueira. Graduado em História pela Univille