A suposta fusão do Caxias Parte II

por Rafael José Nogueira - 20 de abril de 2017

 

  1. Novas pistas

 

Já foi levantada aqui no espaço do Nossa Joinville (clique aqui) a tese que tem sido difundida que alega ter sido o Caxias, resultado de uma fusão entre Teutônia e Vampiros. Felizmente tive  a oportunidade de dispor de mais subsídios para confirmar se houve ou não fusão. Logo depois de publicar o primeiro texto consegui mais fontes, por isso essa continuação. Num antigo grupo de Orkut achei uma descrição sobre a fundação do Caxias, replicado por dois sites entre eles o Caxienses Fanáticos que foi usado como referência, o relato é o seguinte:

Reunidos na propriedade dos Marquardt, na esquina das ruas São Pedro (atual Ministro Calógeras) e São Paulo, Antônio Vian, Armandos Paul, Edgar Schneider, Felipe Zattar, Genoviano Rodrigues, Jaser Vieira, Joaquim das Neves, João Lorenzi, Osvaldo Marquardt, Paulo Kock e Rigoletto Conti fizeram surgir o Caxias Futebol Clube, nome dado em homenagem ao Duque de Caxias, Patrono do Exército Brasileiro. (CAXIENSES FANÁTICOS, Acesso em 19 abr. 2017.)

São citados os nomes dos possíveis fundadores reunidos na fundação do Caxias em outubro de 1920. É uma fonte de internet e não temos certeza se foi escrita consultando a ata de fundação, porém não podemos descartar ela. Fui a sede do América e consultei além de transcrever a legenda de um quadro dado de presente ao América pelo Teutônia depois de conversar com o pesquisador Cícero Urbanski. Abaixo segue a descrição:

“Ao América Futebol Clube no seu 50º Aniversário de fundação 14-7-1914. Lembrança dos veteranos do Foot Ball-Club Teutônia que em 1914 disputaram com o “América” os primeiros jogos havidos em Joinville: Ernesto Schlemm, Franz Bub, Leopoldo Colin, Gustavo Karmann, Arno Stoll, Ernesto Czerniewicz, Frederico Birckholz, Arno Lepper, Erich Malschitzky e Fritz Haeberlin (Acervo do América Futebol Clube)”

Cruzando esses nomes de veteranos que jogaram com o América em 1914 com os nomes dos fundadores do Caxias em 1920, temos apenas o nome de Ernesto Schlemm com alguma relação com o Caxias, pois o seu terceiro estádio levava o nome dele: Ernesto Schlemm Sobrinho (Ernestão) Comparei então os nomes desses jogadores do Teutônia com os jogadores apresentados como sendo da primeira escalação do Caxias em 1920 por Edson Santos:

“Primeira formação do Caxias 1920: Paschoa, Braga, Patapio, Zeferino, Pille, Neves, Aurélio, Candinho, Koop, Carlos, Ferreira. (SANTOS, 2004, p. 248)” Como podemos ver, não temos nenhum nome encontrado entre os veteranos do Teutônia. O nome de Ernesto Schlemm também não aparece na primeira escalação como podemos ver na formação do time em 1920. Portanto não tem muito fundamento a afirmação do blog Alameda cultural:
“[…] na noite de 12 de outubro de 1920 e em uma casa na esquina entre as ruas São Pedro (atual Ministro Calógeras) e São Paulo, um grupo em sua maioria formado por jogadores do Teotônia e do Operário – até o ano anterior o clube chamou-se VAMPIROS – oficializou a criação do CAXIAS FOOTBALL CLUB. […] (BORGES, 12 de Janeiro de 2016). Não visualizamos jogadores no Teutônia na primeira escalação do Caxias e entre os fundadores, pela única fonte que dispomos. Faltam mais informações sobre o Operário. Sobre o seu antecessor o Vampiros temos uma fonte iconográfica abaixo:

IMAGEM A: Time do Vampiros. É possível ver dois jogadores negros, algo simbólico num momento onde o futebol era da elite. Data: 1918. Fonte: Alameda Cultural.

Não temos a disposição a maior parte dos nomes. Entretanto comparando a foto com outras do Caxias conseguimos identificar o goleiro de branco ao centro na imagem. Seu nome seria Benedito. Ele aparece na escalação de 1923: “Benedito, Frederico, Camarão, João Olympio, Bento, Tiago, Bilbao, Tota, Tavares, Candinho, Gigi.” (SANTOS, 2004, p. 249). Além dele aparece o nome Frederico. Existe a chance de ser Frederico Birckholz, citada entre os veteranos do Teutônia. Contudo Frederico é um nome de origem germânica, logo este nome era comum na nossa cidade, marcada pela imigração germânica. Não temos como averiguar se estamos falando da mesma pessoa. Partindo da premissa que a informação é correta, temos um jogador do Vampiros jogando no Caxias, porém apenas em 1923, depois da suposta “fusão”. Considerando que ele continuou a jogar no Operário antes de jogar no Caxias, depois da mudança do Vampiros, então a informação não confirma que um grupo formado em sua maioria por jogadores do Teutônia e do Operário estiveram na fundação do Caxias e assim não há como ter tido fusão. Caso houve foi dois casos isolados como foi apresentado.

Fui no arquivo histórico de Joinville e consultei “Jornal de Joinville” de outubro de 1920 e não aparece nada sobre a fundação do Caxias, só aparece o nome do time quando jogou com o América. Existe uma interdependência entre América e credibilidade do futenoç para a imprensa neste momento pelo que eu venho percebendo. Só é importante noticiar se houver o América envolvido na maioria dos casos. Também consultei na hemeroteca da biblioteca nacional o Almanak Laemmert (conforme Imagem B) do ano de 1919 e na parte sobre Joinville não aparece nada sobre o Teutônia que acredita-se acabou em 1916 e depois surgiu outras versões na década de 1930 o mesmo vale para o Vampiros que em 1920 iria mudar o seu nome para Operário Foot-Ball Club.

IMAGEM B: Almanak Laemmert de 1919 sobre as associações de Joinville. Fonte: Biblioteca Nacional.

  1. Considerações Finais

 

Ademais o Teutônia e o Vampiros estão no rol dos clubes com curta duração num período onde o futebol era visto apenas pela ótica do amadorismo e como uma simples diversão. Não havia um interesse maior em profissionalizar o esporte. É arriscado afirmar uma “fusão” entre dois times de tão pouca duração, sem tempo de formar uma torcida ou simpatizantes e alguma tradição ou história de mais destaque. Apesar de alguns indícios de jogadores como o caso de Benedito, Ernesto Schlemm e Frederico quando comparamos com outras fontes, não há sustentação para falar de uma “fusão”. Se faz necessárias mais fontes para avançarmos na discussão, entretanto até o presente momento a tese da “fusão” não encontra provas sólidas. Aliás, o nome de Edgar Schneider presente entre os prováveis fundadores do Caxias em 1920, aparece com o cargo de 2º Tesoureiro da primeira diretoria do América no biênio 1914/1915. O Caxias seria também uma dissidência em parte do América? Essa já é outra história.

 

  1. Referências

 

ACERVO DO AMÉRICA FUTEBOL CLUBE.

ALAMEDA CULTURAL. Galo x Pinguim. Disponível em: http://festacultural.blogspot.com.br/2016/01/galo-x-pinguim.html Acesso em: 15 abr. 2017.

A NOTÍCIA. Aniversariante do Dia: Caxias FC Disponível em: http://wp.clicrbs.com.br/protofutebol/2011/10/12/aniversariante-do-dia-caxias Acesso em: 15 abr. 2017.

CAXIENSES FANÁTICOS. História. Disponível em: http://caxiensesfanaticos.blogspot.com.br/p/historia.html. Acesso em: 15 abr. 2017.

MELLO, Matheus. O alvinegro mais famoso e vencedor no norte do estado. Revista Primeira Pauta, Joinville, Edição, 88, jun. 2011

SANTOS, Edson. Show de Bola: A História do Futebol em Joinville e Santa Catarina. Joinville: Editora da Univille, 2004.

URBANSKI, Cícero Alves. Vampiros Foot-Ball Club de Joinville/SC. Disponível em: http://cacellain.com.br/blog/?p=66161 Acesso em: 15 abr. 2017.

 

JORNAIS E ALMANAQUE CONSULTADOS NA BIBLIOTECA NACIONAL DIGITAL:

 

Almanak Laemmert. Rio de Janeiro, Edições de 1915 a 1935. Hemeroteca digital da Biblioteca nacional.

GAZETA DO COMÉRCIO. Joinville. Dezembro de 1915. Hemeroteca digital da Biblioteca nacional.

Munícipio de Joinville. Joinville. Dezembro de 1915. Hemeroteca digital da Biblioteca nacional.