Homenagem aos 166 anos de Joinville

por Alison Felipe - 09 de Março de 2017

Sou do tempo em que a Rua das Palmeiras, era uma rua de calçamento.
Sou do tempo em que a Prefeitura era na Max Colin.
Sou do tempo em que o ônibus da Gidion era verde e amarelo (depois marrom e branco), a Transtusa azul e branco.
Sou do tempo da HM (Hermes Macedo), Prosdócimo, A Barateira, Zanella, Arapuã, Madol, Reino dos Brinquedos.
Sou do tempo da Centauro, Martric, Campeã (produzia o uniforme do JEC).
Sou do tempo em que as compras do mês eram no Odivan,
Sou do tempo do Fliperama no Centro.
Sou do tempo do Cine Palácio e Cine Colon.
Sou do tempo do senhor cego tocando sua sanfona na frente da Caixa Econômica, do Laranjinha e da Rosinha do Pé Inchado. (figuras folclóricas).
Sou do tempo dos grandes jogos de futebol de salão no Abel Schulz e grandes shows no Ivan Rodrigues.
Sou do tempo em que durante o Festival de dança o Baturité e Rariah eram os points.
Sou do tempo em que Rutana e a boate do JTV (Joinville Tênis Clube) faziam muito sucesso nas noites de Joinville.
Sou do tempo do Naipi, Gato Preto e Pantera Lanches.
Sou do tempo em que caranguejo era no Zepellin e carne no Ataliba.
Sou do tempo em que em outubro acontecia a Fenachopp.
Sou do tempo da equipe Sonzão no Ginástico, Findersom no Glória e Stylo Grupo Pop Som no Floresta.
Sou do tempo em que os desfiles de 9 de Março e 7 de Setembro eram na Getúlio Vargas.
Sou do tempo em que fazer pesquisa para a escola era na Biblioteca Pública Rolf Colin no Centro.
Sou do tempo em que na recreativa da Tigre tinha zoológico, na Tupy tinha parque, na Consul árvores frutíferas e na Embraco era o campo do Arsenal (time amador da cidade).
Sou do tempo em que o Elias Moreira era apenas uma escola e atrás ficava o campo do São Luís.
Sou do tempo em que na praça no Centro tinha muitas árvores, bancos e todos queriam tirar fotos com a estátua da Branca de Neve e os 7 anões.
Sou do tempo em que no terminal central o bebedouro era na estátua da “Maria Mijona” (apelido dado pelo povo).
E ali tinha as máquinas que faziam o melhor sorvete do mundo (com abelha)
Sou do tempo em que Joinville nem pensava em asfalto, as ruas eram todas calçadas.
Sou do tempo do ônibus Romeu e Julieta e do Interbairros.
Sou do tempo em que o desfile da Escola Técnica Tupy no dia 9 de Março era feito com camisa manga comprida social e gravata mesmo no calor infernal.
Sou do tempo do Ernestão lotado, sentado na arquibancada de ferros, banco de madeira, saco de xixi na cabeça, festa da torcida Inferno na Torre e muitas alegrias.
Sou do tempo em que os jogos escolares movimentavam a cidade.
Sou do tempo da Arp, Manz, Duque, Schneider, Nielson, Douat.
Sou do tempo em que Joinville fazia jus aos títulos de cidade dos Príncipes, das Flores e das Bicicletas.
E mesmo com todos os seus problemas eu SOU APAIXONADO por essa cidade, é aqui que meus filhos serão criados, é aqui que eu amo:

#Joinville166Anos

Autor: Álvaro TW Demétrio